ENFERMAGEM

FONTE MINISTERIO DA SAUDE

sábado, 12 de março de 2011

O que é o diabetes tipo 2?

 É o diabetes que ocorre em pessoas com 40 anos ou mais , que são geralmente obesas ou que têm excesso de peso e, cujo tratamento, baseia-se em dieta, atividade física regular e comprimidos (antidiabéticos orais). É o tipo mais freqüente, acometendo 90% das pessoas com diabetes.

Estas alterações levam a um aumento da glicemia que, mantido, é a causa das complicações ditas crônicas do diabetes, como a perda da visão, impotência sexual, insuficiência renal, problemas de circulação e perda de sensibilidade sobretudo nas pernas e pés, infarto do coração, entre outras.

Fatores de risco


  • Obesidade
  • Histórico familiar de diabetes tipo 2
  • Vida sedentária
  • Hipertensão arterial
  • Aumento do colesterol e/ou triglicerídeos (dislipidemias)
  • Diabetes gestacional ou dar à luz a bebês com peso superior a 4 kg
  • Idade acima de 40 anos
  • Grupos étnicos de alto risco (exemplo: hispânicos, americanos nativos - índios Pima-, afro-americanos)

Principais Sintomas do diabetes tipo 2
- O diabetes tipo 2 pode levar muitos anos sem sinais ou sintomas e, portanto, sem diagnóstico.
- Quando os sintomas estão presentes, os mais comuns são: a sede excessiva e o aumento da frequência de urinar, inclusive acordando várias vezes durante a noite para tal. Pode ocorrer também cansaço fácil, visão turva (dificuldades visuais que podem se confundir com as da idade), sensação de dormência ou formigamento nos pés mãos, infecções de repetição (como por exemplo infecção urinária ou furúnculos), ressecamento da pele e diminuição da potência sexual.

Atualmente mais de 100 milhões de pessoas no mundo inteiro têm diabetes, sendo que em 2010, de acordo com as projeções efetuadas, haverá mais de 230 milhões.
- O Diabetes tipo 2 pode levar muitos anos (cerca de 5 ou mais) sem sinais ou sintomas e, portanto, sem diagnóstico. Uma das alterações mais precoces no diabetes tipo 2 é a perda da capacidade do pâncreas de liberar insulina na quantidade adequada após a alimentação, já que a glicose provinda dos alimentos é o principal estímulo para a liberação de insulina . Isto leva a um aumento da glicemia após a refeição (pós-prandial) que passa desapercebido em exames de rotina onde só se avalia a glicose no sangue em jejum.



Diabetes tipo 2 e perspectiva de cura
- Ainda não existe cura para o diabetes. Mas a educação somada a um planejamento alimentar adequado ( visando o controle de peso), atividade física regular e aos vários medicamentos, são eficazes para controlar o diabetes. A normalização dos níveis de glicose no sangue (70 – 100 mg/dl em jejum e menor ou igual a 140 mg/dl 2 horas após a refeição) não significa que houve a cura do diabetes ou que os medicamentos possam ser suspensos. Isto é sinal de que o esquema proposto para o tratamento está dando certo.

CASSEA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário